BLZ IDIOMAS
Inglês pra valer.
Textos
GRANDES ESPERANÇAS PARA TEMPOS DIFÍCEIS
Charlles Nunes

Há mais de 160 anos o escritor Charles Dickens começou um livro assim:

“Aquele foi o melhor dos tempos, e foi o pior dos tempos; aquela foi a idade da sabedoria, e a idade da insensatez, foi a época da crença, foi a época da descrença, foi a estação da Luz, e a estação das Trevas, a primavera da esperança, o inverno do desespero; tínhamos tudo diante de nós, e não tínhamos nada diante de nós, íamos todos direto para o Paraíso, ou íamos todos direto no sentido contrário...”

Essas palavras serviriam com certeza para descrever o ano de 2020. De muitas maneiras, esse ano vai entrar pra história. Para muitos, foi um ano de conquistas. Para outros, foi um ano de desafios quase insuperáveis. Observando o que está acontecendo no mundo, dá pra imaginar que teremos muitos desafios pela frente. E também, muitos motivos pelos quais agradecer.

Diante desse quadro tão adverso, alguns se perguntam: Ainda vale a pena trazer filhos a esse mundo? E outros: Como posso ajudar as crianças e jovens que eu conheço a se prepararem para ter uma vida mais feliz?

Assim como nossos músculos se fortalecem com o exercício, podemos nos preparar para os embates da vida com atitudes específicas. Gostaria de oferecer três ideias que podem ser colocadas em prática hoje mesmo:



1. Fazer Um Esforço Consciente para Conhecer a Cristo

Você já conheceu alguém tão interessante, que ficou com vontade de apresentar a pessoa a todos os seus amigos? Ou chegou a desejar que o tempo passasse mais devagar, só para ficar mais tempo ao lado dela?

Ainda me lembro da primeira vez que li com atenção sobre como Jesus curou um cego de nascença. Está na Bíblia, no capítulo 9 de João. Eu estava num acampamento de jovens....

Naquela ocasião, a história me impactou de um jeito diferente. Despertou em mim a vontade de conhecer melhor o Salvador...

Jesus Cristo estava passando com seus discípulos quando viu um homem cego de nascença. o Salvador parou, cuspiu na terra, fez um lodo e passou nos olhos do cego. Depois, disse ao homem para que fosse se lavar no tanque de Siloé. O homem decidiu obedecer. Foi para o tanque cego, e voltou enxergando.

Você já imaginou a fé e a humildade desse homem?

As pessoas ficaram intrigadas, pois conheciam o moço desde criança. Elas o interrogaram, depois levaram para os fariseus. Chamaram até os pais do homem, pra confirmar que ele era cego mesmo. Aos ouvir as acusações a respeito de Jesus, o homem disse:

"Se é pecador, não sei; uma coisa sei, é que, havendo eu sido cego, agora vejo."

Enquanto a gente imaginava a cena, o professor disse:

"Vocês podem ouvir falar de Jesus a vida inteira. Mas se quiserem conhecer o Salvador de verdade, vocês precisam fazer duas coisas:

1) Estudar com atenção o que Ele fez e ensinou.
2) Procurar viver como Ele, no seu dia a dia."

O que eu senti naquele momento me despertou o interesse em estudar com mais atenção, e a ter mais cuidado com o rumo que a minha vida estava tomando.

Os cientistas descobriram que quando uma ideia passa pelo nosso cérebro, ela deixa uma marca. E se for uma marca bem forte, ela pode ficar impressa em nosso tecido nervoso para sempre.

Então, ao nutrir a mente com as ideias de quem você admira – sejam boas ou ruins – o seu cérebro vai começar a responder como o dessa pessoa.

Eu percebo que os momentos nos quais mais aprendi sobre Jesus Cristo – sobre o que ele sente pelos filhos e filhas de Deus – foram justamente aqueles em que eu estava servindoo próximo. Quando eu estava tentando aliviar a dor física ou mental de alguém, ou quando eu estava tentando confortar uma pessoa numa uma situação difícil.

Esse tipo de sentimento vem quando a gente estuda sobre Jesus Cristo e busca colocar em prática o que Ele ensinou.



2. Fortalecer Sua Esperança

Essa busca por conhecer melhor a Cristo vai nutrindo em cada um de nós um sentimento de esperança. Mas é um sentimento que cresce aos poucos.

Alguns ensinamentos do evangelho são mais práticos. Eu sempre prestei mais atenção nesses. Eu queria terminar a leitura – ou a aula – e experimentar na prática.

Quando eu rotulava algo como ‘teoria’, eu diminuía o nível de atenção. Ainda me lembro de quando eu tinha 21 anos e estava no Recife, servindo como missionário. Quando o professor leu o título da aula – Ressurreição – eu desliguei um botãozinho na minha cabeça.

‘Eu não devo morrer por esses dias’, pensei. ‘Depois eu estudo esse assunto.’ Mas durante a aula, minha atenção foi retornando. A cada minuto, eu via mais e mais sentido naqueles ensinamentos. Em determinado momento, minha mente ficou tão clara que eu soube por mim mesmo que Jesus Cristo havia ressuscitado.

De repente, o que não fazia muito sentido passou a ser um tesouro na minha vida. Aquele sentimento deixou uma marca tão profunda na minha mente e no meu coração, que passou a ser um oásis nos tempos de aflição. Foi a ele que eu recorri ao me despedir da minha mãe, da minha filha, e de diversos amigos que eu espero encontrar de novo ao terminar meu tempo na Terra. É daquele momento que eu tiro forças, ao confortar alguém que está passando por um momento de perda.



3. Praticar a Gratidão

Essa fé crescente em Cristo, e a esperança em dias melhores – seja aqui na Terra ou no porvir – trazem consigo um sentimento de gratidão. No dia 20 de novembro de 2020, o Presidente Nelson fez uma transmissão ao vivo para todo o mundo. Ele é um cirurgião renomado, e em janeiro de 2018 foi apoiado e designado como Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ele inicia sua mensagem assim:

"Ao longo de meus 96 anos de vida, presenciei a Grande Depressão, uma guerra mundial e o aumento do terrorismo, da fome e da pobreza ao redor do mundo. Também testemunhei o surgimento de viagens ao espaço e da internet, a profusão dos avanços médicos e inúmeras outras descobertas que me alegram.

Antes de meu chamado, eu era um cirurgião cardiovascular e torácico e passei muitas horas em centros cirúrgicos. Como residente na área cirúrgica, eu fazia parte do time de pesquisa que desenvolveu a primeira máquina coração-pulmão utilizada na cirurgia de peito aberto em humanos.

Posteriormente, tive o privilégio de ajudar a salvar a vida de centenas de pacientes; e, infelizmente, vi outros pacientes morrerem apesar de meu grande esforço.

Como um homem da ciência e um homem de fé, a atual pandemia mundial tem me preocupado muito. Como um homem da ciência, compreendo a necessidade crucial de se prevenir a disseminação da infecção. Também admiro o serviço dedicado dos profissionais da área da saúde e lamento as muitas vidas que foram arruinadas pela Covid-19.

Entretanto, como um homem de fé, vejo a pandemia atual como apenas um dos muitos males que assolam nosso mundo, incluindo o ódio, a agitação civil, o racismo, a violência, a desonestidade e a falta de civilidade.

Cientistas e pesquisadores qualificados estão trabalhando com diligência para desenvolver e distribuir uma vacina contra o coronavírus; mas não há medicamentos ou cirurgias que possam curar as aflições e os males espirituais que enfrentamos.

No entanto, há um remédio — um remédio que pode parecer surpreendente porque contradiz nossas intuições naturais. Não obstante, os efeitos desse remédio têm sido validados por cientistas e por homens e mulheres de fé. Refiro-me ao poder de cura da gratidão.

O livro de Salmos é repleto de admoestações para que expressemos gratidão. Citarei apenas três delas: “Bom é louvar ao Senhor”. “Louvai ao Senhor, porque ele é bom.” “Apresentemo-nos ante a sua face com louvores.”

Jesus Cristo expressava gratidão com frequência. O Salvador orou e rendeu graças a Deus antes de levantar Lázaro dentre os mortos, antes de milagrosamente multiplicar os pães e os peixes, e antes de passar o cálice a Seus discípulos na Última Ceia. Não é de se admirar que o apóstolo Paulo tenha posteriormente declarado: “Em tudo dai graças”.

Durante minhas nove décadas e meia de vida, decidi que contar nossas bênçãos é muito melhor do que contar nossos problemas. A despeito de nossa situação, demonstrar gratidão por nossos privilégios é um remédio espiritual duradouro e de ação rápida.

Será que a gratidão nos poupa de sofrimentos, tristezas, pesares e dores? Não, mas ela ameniza nossos sentimentos. Ela nos proporciona uma perspectiva maior do propósito e da alegria da vida."

Depois de relatar alguns desafios de sua própria vida, e enumerar diversos motivos pelos quais podemos ser gratos, o Presidente Nelson convida a cada um de nós a publicar nas redes sociais um diário de gratidão pessoal. Durante sete dias.

"Façam uma publicação diária mencionando pelo que vocês são gratos, a quem vocês são gratos e por que são gratos. Depois desses sete dias, observem se vocês se sentem mais felizes e com mais paz. Usem a hashtag #SerGrato.

Trabalhando juntos, podemos inundar as mídias sociais com uma onda de gratidão que atingirá os quatro cantos da Terra. Talvez isso cumprirá, em parte, a promessa dada por Deus ao pai Abraão de que, por meio de seus descendentes, “[seriam] abençoadas todas as famílias da terra”.

Em segundo lugar, faço um convite para que nos unamos em agradecimento a Deus orando diariamente. Jesus Cristo ensinou Seus discípulos que devemos orar primeiramente expressando gratidão a Deus e depois rogando a Ele pelas coisas de que precisamos. A oração faz milagres. No final da mensagem, ele fez uma oração em favor de toda a humanidade."

Que época maravilhosa essa – apesar de todos os desafios que enfrentamos. Que privilégio é termos pessoas que desejam o nosso bem e trabalham para nos servir, nos confortar e nos direcionar.

Acredito que apesar dos desafios, a vida vale a pena ser vivida. Principalmente ao buscarmos conhecer a Cristo, seguindo seu exemplo de serviço e de esperança em dias melhores.

Acredito que a oração e a gratidã possam trazer alívio a nós e aos nossos companheiros de jornada. Essa é minha oração, em nome de Jesus Cristo. Amém.

Charlles Nunes



 


Discurso feito em no dia 29 de novembro de 2020, em Angra dos Reis - RJ.
Charlles Nunes
Enviado por Charlles Nunes em 28/05/2021
Alterado em 28/05/2021
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
WhatsApp: 24 99954 1608