Charlles Nunes
Por um Brasil bilíngue.
Textos
3 Lições de Vida que o Pedro Superti me Fez Lembrar
Charlles Nunes

2010 foi um ano inesquecível pra mim. E pra sempre será. Nesse ano, enfrentamos em família o maior desafio das nossas vidas.

Mas para muita gente, o ano mais desafiador está sendo 2020...

Não sei como você está vendo o momento atual. Para a maioria dos brasileiros, ele traz dúvidas e incertezas.

E nessas horas, uma palavra amiga - ou de encorajamento - nos ajuda a seguir em frente.

Conhecer o trabalho do Pedro Superti me lembrou de algo que minha mãe sempre dizia, mas que eu andava meio esquecido:

"-- 
Você não é todo mundo."

Simples, né? E quando a gente ouve isso é difícil aceitar, porque nossa tendência é a de ‘seguir a boiada’ pela vida afora.

Bem, aqui vão 3 lições que a vida me ensinou - e que voltaram com força total depois que conheci o trabalho do Pedro Superti:

Lição #1: O que te desafia, te transforma.

Alguns momentos te desafiam até o limite. Aconteceu comigo, quando tive que aprender inglês na marra. E tinha que ser da noite pro dia.

Sem grana, sem tempo disponível, sem saber nem por onde começar, eu já estava no olho do furacão.

Era 1991, eu estava em Recife-PE servindo como missionário. De repente, fui chamado para um novo posto e precisava interagir com estrangeiros - muitos dos quais não falavam português. Nessas horas, a galera do escritório virava uma chavinha e começava a falar em inglês.

E eu ali, boiando.

Depois de alguns meses, meu companheiro topou acordar comigo às 5 e meia da matina e ler em voz alta por uma hora. Fizemos isso por uns três meses, e finalmente consegui falar o básico para me fazer entendido.

Escolhi a profissão de professor, para ajudar quem eu pudesse a sair desse tipo de enrascada. 

Como eu já senti isso na pele, sei como é desolador você pagar mico por falta de um conhecimento que parece tão simples para os outros.

Durante a pandemia, tivemos um ideia: criar um programa chamado Inglês 0800 - com aulas gratuitas pelo Zoom.

Estamos começando a quarta temporada, e as dezenas de amigos que fizemos torna nossa vida cada vez mais rica em significado.

Tanto os alunos quanto os voluntários, passaram a fazer parte da nossa vida.


Lição #2: Quem persiste, aprende a fazer melhor

Em 1986, comecei a escrever um diário. No começo, eu apenas descrevia o dia: Fiz isso, fiz aquilo, fiz aquilo outro. Fui pra lá, vim pra cá, terminou o dia. E não saía disso.

Eu tinha 17 anos. Aos poucos, fui registrando planos, pensamentos, emoções... E tomei gosto pela coisa.

Hoje, aos 51, não consigo passar um dia sem rascunhar umas linhas. E quando releio os diários antigos, me surpreendo que tanta coisa tenha acontecido numa vida tão simples.

Essa semana mesmo, reli sobre como meu irmão enfrentou de cabeça erguida o maior desafio da vida dele aos 21 anos. Algo que, mesmo tendo registrado, na época eu não tinha a menor chance de compreender.

Mas a vida nos reserva surpresas. Anos mais tarde, senti o gosto do que ele passou também. E posso garantir: não foi nada doce...
 
Lição #3: Você desconhece seus limites

Como eu disse, 2010 foi o ano mais difícil pra mim. Tivemos que dizer adeus (ou até breve) à nossa filha caçula. Na época, ela tinha 9 anos e meio.

No ano seguinte, escrevi um livro em sua homenagem. Simplesmente Poliana - Uma História de Fé, Amor e Esperança. Copiei 30 trechinhos do diário dela, juntei 50 fotos de família, e me pus a escrever.

Essa decisão foi como um bálsamo pra mim. Me ajudou a resgatar lembranças felizes e divertidas. Me ajudou a reconhecer que nossa família não era a única a enfrentar esse desafio. E me ajudou a perceber que nossos outros três filhos ainda precisavam de nós.

Aprender um idioma aos trancos e barrancos, aprender a desenvolver um talento e aprender a conviver com a ausência de quem você ama: lições que são tesouros para mim. E todas têm uma palavra em comum: Aprender.

Já percebeu que aprender é uma questão de escolha? Sempre vai aparecer algo mais fácil para se fazer do que aprender algo novo.

Obrigado, Pedro, por me relembrar o que minha mãe já dizia, o que a vida já havia me mostrado, mas que estava um pouco esquecido...

"Clap your hands for this guy!" ;-)


 

*Se você ainda não conhece o trabalho do Pedro Superti, assista essa entrevista: Faça o Que Você Nasceu pra Fazer - e vire fã também! ;-)

 

Bio
Charlles Nunes é apaixonado por ensino e aprendizagem. Ele adora pedalar em estrada de chão, conhecer gente nova e escrever na terceira pessoa. Ele é craque em bolinhos de chuva, e todo dia diz a mesma frase: “Tive uma ideia.”
Charlles Nunes
Enviado por Charlles Nunes em 14/11/2020
Alterado em 27/11/2020
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras